23/06/2007

Altas Horas: Não chora, Madruga!

Ele ficou popular por chorar. Sim, Seu Madruga, o ajudante geral do “Altas horas” acabou se tornando um personagem graças às lágrimas que debulha cada vez que Serginho Groisman o chama ou a platéia grita seu nome. Até para dar esta entrevista ele chorou.

— A animação e a energia da juventude me comovem. Procuro passar uma mensagem de paz para eles — conta Seu Madruga, na verdade, Waldir de Melo Cruz.

O apelido foi dado por um ex-funcionário da Globo, que fez essa brincadeira por Waldir chegar sempre muito antes do horário que teria que entrar no trabalho. E também por ser parecido com o personagem do seriado “Chaves”.

A história dele no programa começou quando Serginho o chamou pela primeira vez ao palco.

— Não lembro exatamente quando, mas vi que ele estava superemocionado e o chamei. Foi uma comoção geral — conta o apresentador, que até criou um quadro para Madruga, mas achou aque ficaria apelativo.

Serginho também se emociona com o ajudante, principalmente quando ele encontra seus ídolos.

— Madruga passa uma mensagem de paz e é uma figura muito querida por todos — afirma Serginho, que diz não haver ciúmes na equipe do “Altas horas” em relação à exposição do funcionário.

Madruga chora com todos os convidados. Mas tem um ídolo maior: Roberto Carlos.

— Ele é o único que não conheço ainda. É meu sonho vê-lo pessoalmente e assistir a um show dele — afirma.

O ajudante, que também trabalha no “Programa do Jô” e no “Domingão do Faustão” (quando a atração acontece em São Paulo), gosta de todos eles:

— Tenho o coração muito aberto e um carinho especial por cada um dos apresentadores e eles demonstram o mesmo por mim.

Vale lembrar que, por ocasião da primeira entrevista de Iris para o Altas Horas, e por iniciativa dela, os artistas passaram a abraçar Seu Madruga sempre que Serginho pede sua presença no palco.

Nenhum comentário: