29/06/2007

Profissão: Perigo!

Minha filha diz que eu sou uma ameaça para mim mesma. Domingo passado, ao tentar consertar a tomada da enceradeira - sim, aqui em casa existe uma - furei a mão com a chave de fenda, fazendo um buracão. Por conta disso, estou de molho até hoje, de licença médica.

Por causa do ócio, fiz uma retrospectiva dos meus acidentes domésticos e, pasmem, são muitos, para meu azar.

O mais antigo deles que eu pude me lembrar foi quando eu resolvi cheirar um grão de feijão e ele foi parar bem lá dentro da minha narina. Eu devia ter uns 6 anos, acho. Fiquei com medo de contar para a minha mãe, porque a surra seria certeira, mas aquele troço foi crescendo e não teve jeito: lá fui eu para o hospital, retirar com pinça, o lindo pezinho de feijão que florescia dentro do meu pequeno nariz...ehehe

Na minha casa tinha um porão, onde minha mãe guardava engradados de refrigerantes (cheios). Coitadinha da minha mãe...acho que naquela época ela não imaginava o quanto eu podia ser perigosa. Ela pediu que eu fosse buscar 2 garrafas de coca-cola grandes e eu, pequenininha querendo parecer esperta, peguei algumas folhas de jornal, coloquei no chão, deitei as duas garrafas, segurei as pontas do jornal e....BOOMMMM....as garrafas se chocaram e um caco de vidro veio parar bem no meu lábio inferior, fazendo um estrago danado. Passei pela cozinha feito um foguete, segurando a boca com as duas mãos e corri para o banheiro, tentando esconder a M...que eu tinha feito. Foram semanas me alimentando por um canudinho....grrrr

Eu morava em um sítio e meu avô plantava de tudo. Eu e meus primos e primas gostávamos de colher cana-de-açúcar para chupar no final da tarde e, mais uma vez, meu instinto suicida de manifestou: ao descascar a bendita, o facão acertou minha mão, fazendo um corte bem simpático.

Mas o que eu gostava mesmo era andar de bicicleta! E eu achava que era exímia naquilo até que, numa curva, fui parar debaixo do Gordini do meu tio, toda ralada, nos braços e nas pernas. Nem precisei de bronca naquele dia: o Merthiolate já era um castigo e tanto!

Já na idade de ter vaidades, resolvi afinar um tiquinho minhas sobrancelhas...mas era para ser só um tiquinho, mas, como eu não tinha pinça, usei a lâmina de barbear mesmo. Fui tirando um pouquinho daqui, um pouquinho dali e...voilà! Só restaram dois cotoquinhos, um de cada lado...credo, eu fiquei escondendo aquilo com a franja por um bom tempo, até minha mãe descobrir e me dar outra surrinha básica...rs

Já adulta passei pelo rompimento de ligamento de tornozelo, ao descer uma escada com várias malas. É claro que eu caí, não é mesmo? Acho que foi uma das piores dores que eu senti na minha vida.

Em outra ocasião, limpando carne, a faca escapou da bovina e acertou em cheio meu punho, quase cortando minhas veias. Esse pequeno acidente me custou quase quinze dias de licença e olhares desconfiados, como seu eu tivesse tentado me matar...

Não posso deixar de relatar aqui o mais incrível de todos os meus "acidentes". Lavando a cozinha, resolvi ajoelhar no chão para limpar um cantinho que precisava de um capricho a mais e, sem perceber, ajoelhei em um caco de vidro, que era do fundo de um copo quebrado nem sei quando, e meu joelho sugou o danado com tanta vontade que até fez barulho.

Recentemente meu tormento tem sido uma veia na perna direita. A primeira vez que a simpática se fez notar foi no banho, quando eu depilava as pernas. Eu nem percebi na hora, só quando fui me secar, que o sangue escorria numa velocidade incrível! Em outras duas ocasiões, me descuidei e lá se foi a veia de novo para o espaço, sendo que, da última vez, o sangue esguichava que nem água saindo de uma mangueira furada.

Sou ou não sou um perigo para a minha vida???

Nenhum comentário: