28/09/2007

Paraíso Tropical

Sem dúvida, Olavo caiu nas graças do público. E não foi só pelas maravilhosas cenas de amor entre ele e Bebel, mas, claro, também pela primorosa atuação de Wagner Moura. Frio, calculista, cínico, perigoso... Tudo isso e muito mais, Olavo armou contra seu rival, Daniel, do início ao fim da trama.

Mas não foi só o mocinho que sofreu em suas mãos. Qualquer um que cruzasse seu caminho ou que ousasse atrapalhar seus planos pra chegar à diretoria do grupo Cavalcanti, ele não perdoava. Até a própria Bebel, única mulher que conseguiu conquistar o coração de pedra deste rapaz, passou por maus momentos quando tentou melar seu casamento com Alice.

O Brasil literalmente parou para assistir às emoções finais de Paraíso Tropical – e bota emoção nisso! Um capítulo eletrizante, que não permitiu que ninguém desgrudasse da telinha, acabou, enfim, por revelar o grande mistério da trama. Foi Olavo Novaes quem assassinou Taís Grimaldi, um crime motivado, sobretudo, pela ganância desenfreada e pelo descaso à vida, inclusive a da própria família. Mas Olavo não se importava com nada, nem ninguém – apenas consigo mesmo.

O ódio a Marion e a Ivan – principalmente pelo fato Olavo saber que Ivan era filho bastardo de Antenor, e não de um zé-ninguém como se pensava – fez com que Olavo planejasse dar cabo da própria família. Mas Taís ousou se colocar em seu caminho, fazer chantagem, lucrar também. Então, Olavo não pestanejou em acabar com a vida dela só pra não ter que dividir nada. Teve um fim mais que merecido.

Parabéns a todos os artistas que nos brindaram com interpretações primorosas, como Wagner Moura, Camila Pitanga, Toni Ramos, Bruno Gagliasso (que andei lendo por aí que era um galãzinho que a Globo queria nos empurrar goela abaixo, o que eu fiz com tremenda satisfação!), Beth Goulart, Vera Holtz, entre tantos.

Nenhum comentário: