05/03/2009

Maíra e o poder destrutivo das palavras

Maíra começou a meter os pés pelas mãos logo na primeira frase que pronunciou na casa: “Meninas, vocês parecem ser enormes na televisão!”. Bom, a garota já deixou patente que tato e sutileza não são o seu forte. Portanto, estava claro desde o princípio que ela iria findar batendo de frente com as mulheres da casa, especialmente por causa da sua insistência descarada em provocar ciúmes, jogando charme para os homens que tinham relacionamentos dentro da casa.

Uma frase dita por Maíra a Emanuel, quando ela ainda estava na bolha, deixou-me certa de que ela viera disposta a causar muita confusão. Manu se sentara ao lado da bolha e é logo inquirido por ela se podia conversar com ele sem criar problema com Priscila: "Posso? Você não vai apanhar?", questiona. "Pode, claro. Só que daqui a pouco ela vem aí", responde o brother. A conversa entre os dois estava animada, quando Priscila e Milena passaram pelo gramado e os viram. André faz sinal de que “sujou” e Emanuel comentou: "Pronto. Ela ficou chateada". Maíra ri e diz: "Pois é. Vim trazer discórdia para a casa".

Diante da conduta atrevida dela e do conteúdo dúbio dessa frase, não me restaram dúvidas de que entrara na casa uma bomba explosiva, disposta desestruturar a harmonia entre os casais e entre os demais hóspedes da casa. Ora, Maíra entrou na casa, quando o programa já avançara um mês e onde as alianças e as afinidades já estavam definidas e sólidas. Mas entrou com enormes vantagens sobre os demais concorrentes: conhecia todos os participantes, sabia da popularidade e os pontos fracos de cada um, enfim tendo nas mãos todas as armas para atacar quem se interpusesse entre ela e sua ambição de sair do jogo milionária.

Assim, ela sabia o que poderia seduzir as pessoas, na mesma medida que sabia poderia destruí-las. Na sedução das mulheres usou a infalível arma dos “presentinhos”, para encantar os homens usou a exibição do corpo em roupas que pareciam ter saído das vitrines da Daspu. Mas, não são essas armas da conquista as que ela prefere usar. Sua arma mais perigosa e destrutiva são “as palavras” que ela usa com maestria, a força de sua retórica destrutiva, somadas a uma gesticulação e jogos fisionômicos que intensificam e ampliam o que ela diz imprimindo-lhe foros de verdade. É com essas armas ela vai deturpando o que ouve, confundindo, manipulando e convencendo facilmente os que a ouvem.

Acredito que essa criatura maldosa e mal intencionada foi escolhida a dedo por Zeus e plantada na casa para fazer exatamente o que vem fazendo: manipular, fomentar intrigas, vomitar maledicências, enganar, armar barracos e bancar a vítima. Ela já percebeu que não tem cacifo para competir com os favoritos do público, chegar à disputa final e embolsar o prêmio milionário. Sabe que não é capaz de construir uma estratégia de jogo ético que a inclua na competição em nível paritário com os bons jogadores da casa, mas é exímia estrategista do jogo sujo, destrutivo e impiedoso que vem jogando contra seus alvos prediletos: o grupo B.

Só um cego não vê a devastação que Maíra causou no grupo B. A sua ação desestruturadora foi tão direcionada e destrutiva que me concedo o direito de pensar que ela foi posta na casa com essa missão mesmo, quiçá remunerada pelo servicinho prestado a Zeus. Instalou-se sob as asas de Naná e suas pupilas, fez-se a queridinha da mulherada do Grupo A e começou o ataque ao seu alvo: os integrantes do Grupo B. Os primeiros que colheu em suas garras foram Flávio, o único sem namorada, e Priscila, solitária entre as ficantes do GB.

Logo deixou Flávio, que era contrário a relacionamentos, porque o desviaria da concentração no jogo, transformado em um apaixonado babão, despencando na preferência do público. Depois conseguiu seduzir Priscila, pelo menos por algum tempo, fazendo dela sua defensora e amiga. Em seguida provocou Francine, conseguindo levá-la a protagonizar um ruidoso barraco, em duas etapas. Na primeira, Fran foi provocada e conseguiu manter a calma, mas ficou indignada por ter sido agredida verbalmente pela biscate e rotulada de “burra”.

Depois de remoer o insulto sem conseguir aplacar a sua ira, Fran partiu com tudo para dar o troco à Maíra. Adoooorei ver Maíra perdendo o controle da querela justamente com Francine, quando percebeu que a Fofurinha era muito mais valente, audaciosa e inteligente do que ela supunha, que a ela não conseguiria convencer que era a pessoa que aparentava ser. Todavia, conseguiu atingir Fran em seu ponto fraco, ao aceitar conversar sobre a briga com Max, provocando uma briga entre o casal.

Ontem, Maíra gastou 90% do seu tempo em vigília para falar mal de Fran, Milena e Max. Nem Priscila escapou da sua maledicência, sempre partilhada com Joseane, Naná e Ana. Cada uma queimando a fita dos seus desafetos do Grupo B com mais entusiasmo. E o povo vendoooooo!!!
O que não sabe essa mulherzinha sem classe é que, com a conduta que vem tendo na casa, está preparando sua saída do programa mais cedo do que imagina, enquanto Francine, desde o paredão, deu um passo muito alargado para chegar à disputa final pelo milhão. A cena emocionante com seu pai ficou ainda mais forte pelo fato dela nunca ter usado seu drama para comover o público e dá-se bem no jogo.

Hoje, Maíra teve que assistir, com cara de lerda, a homenagem de Ana Maria Braga à Francine, exibindo a cena do encontro dela com seu pai, concedendo bastante tempo do seu programa para falar sobre o caso, finalizando com um convite para Fran ir ao “Mais Você”, para uma entrevista ao vivo, após sua saída da casa. Fran está podendo!

Nenhum comentário: