13/03/2009

Milena, "deusa cunhã, exuberante rainha!"

Milena tem trinta e dois anos de idade e uma intensa experiência de vida, mascada por sua entrada precoce na vida adulta. Como as mulheres indígenas que logo após a primeira menstruação casam-se, aos doze anos Milena casou-se informalmente com o namorado bem mais velho que ela, foi mãe e assumiu sua vida de mulher, mas perdeu tudo quanto faz da adolescência uma fase tão prazerosa da vida.

Todavia, a idade adulta antecipada, as dificuldades e renúncias que enfrentou, fizeram dela uma pessoa de excelente caráter, com opinião própria, segura, determinada, com uma personalidade marcante, livre das amarras que os preconceitos impõem à mulher, cerceando a sua liberdade.

Milena é mulher do terceiro milênio, assumida, bem articulada, dona do seu destino, mas guarda, dentro de si, entranhada em sua natureza manauara, partículas da herança cultural dos seus antepassados, habitantes da floresta que conheciam a muda linguagem da natureza, que escutavam sua intuição e sabiam dialogar com o silêncio.

Como o povo manauara, Milena gosta dos Festivais Folclóricos do Boi, realizado anualmente em Manáus e em Parantins. Não sei qual é o seu partido predileto, se é o azul do Boi Caprichoso ou o vermelho do Boi Garantido. A letra de uma das canções do Boi Garantido, Deusa Cunhã, é linda!

Transcrevo-a abaixo em homenagem à Milena, a manauara, que surgiu na edição nona do BBB, para fazer a diferença. Manauara que veio trazendo consigo o mistério de Iracema, a força guerreira das lendárias amazonas, o orgulho brioso de I-Juca-Pirama e a resistência dos bravos povos da Floresta. Salve! Salve! “Deusa Cunhã, exuberante rainha!”

Deusa Cunhã

Ao som do tamurá, maracá, carriço, ireru, puraci-sauá
Surge a deusa cunhã pra dançar
O ritmo selvagem de guerra
hei! há! hei! há! hei! há! hei! há! hei! há! hei! há!

Iluminada pelos olhos hipnotizados do luar
Que a segue e se perde na imagem mais bela
De toda florestaHerdeira da glória vermelha
Tem a graça e a beleza dos ancestrais

Seu corpo é todo um monumento
Livre em perfeito movimento na luz do luar (bis)
A oblação dos povos da floresta
Todos os deuses te consagram aqui na terra
A própria encarnação cunhã da glória de mulher

Dança, deusa cunhã, exuberante rainha
Dança guerreira, cunhã poranga da nação vermelha.

(Autor desconhecido)

Nenhum comentário: