06/03/2009

Naná, sob o signo do camaleão!!!

TRICOTADINHAS

Uai! Quando pensava que Naiá havia encerrado as suas mudanças de personagem, eis que me surge uma terceira, parida na noite do paredão em meio a lágrimas de crocodilo e gemidos de Mater dolorosa. A bondosa senhora está mesmo sob o signo do camaleão: haja mudança de cor, haja camuflagem para escapar dos pedradores (no caso o julgamento do público).

A nova personagem, não se parece em nada com a primeira; a que falava mal de Ana, dava alfinetadas em todos, implicava com Nono e morreu no primeiro paredão, indicada por Léo, o mesmo que ousou dizer-lhe tudo quanto pensava dela e revelar as intrigas e maledicências dela com Ana.

Também não trás consigo muita coisa da segunda personagem: moderou a euforia desbocada, a exuberância nas festas e a reprimida irritação com as chatices tediosas de Ana, a netinha querida que ela jogou no paredão, numa falhada tentativa de livrar-se da mimada lacrimejante.

Essa nova personagem, a terceira, não é mais a avozinha da netinha chatinha. É a “mãezinha” apaixonada pela filhinha caçula que gestou e pariu na casa do BBB9, por obra e graça de uma estratégia de jogo que arriscou quando percebeu que a saída de Ana, por não ter sido salva por ela, poderia torná-la repudiada pelo público.

Desde a noite do histórico paredão, em que Naná protagonizou a uma cena digna de novela mexicana, quase inundando a sala de casa com um dilúvio de lágrimas, sem precedentes na história do BBB, a astuta senhora passou a representar o papel da mãezinha amorosa, zelosa, que cumula de mimos a filhinha caçula.

É outra Naná! É a Naná que só tem elogios para Ana, que escuta pacientemente as repetitivas conversas da jovem, que lhe penteia os cabelos para a festa, que lhe prepara comidinhas especiais na xepa, porque a mocinha rica não come a comida de pobre servida para os demais, faz bolinho para o lanchinho, omelete caprichada, enfim... é de pasmar de que é capaz a bondosa e meiga senhora para se garantir junto a campeã de paredões vitoriosos.

Ontem, quando Ana voltou do passeio, o exagero da recepção que lhe fez Naiá e das expressões de satisfação e de júbilo pela alegria de Ana chegou a soar falso. Os paparicos e cuidados com o mal estar intestinal da garota chegou a ser cômico, porque eu não conseguia mais reconhecer, naquela dedicadíssima mãezinha, a Naná que maltratava Ana, ao ponto da mãe desta exteriorizar para a imprensa sua insatisfação com os maltratos que a filha estava sofrendo da nobre senhora, nem a Naná que não imunizou Ana, mesmo sabendo que ela estava ameaçada.

Das duas outras personagens ficou na terceira o gosto pela maledicência, fartamente praticada com Ana e com as pupilas Maíra e Joseane. Que quarteto futriqueiro! Só não descem o pau em Fran, Max e Milena em tempo integral porque dormem muito, especialmente Ana. Esta especialista em BBB, pegou direitinho o modelo Gyselle, tão criticada porque dormia demais, por pessoas que, nessa edição, louvam e enaltecem Ana Carolina. Claro, a moça rica, loura, olhos azuis, que reside em uma luxuosa mansão de 600m2 de área coberta, em bairro nobre de Floripa, pode hibernar sob o edredom, a pobretona do Piauí, não pooooooooode!

Nenhum comentário: