20/04/2009

Amores virtuais

Esse é um assunto que muitas pessoas evitam comentar. Quem tem ou teve um, raramente confessa. Quem nunca teve, frequentemente condena. Poucos são os que falam abertamente sobre relacionamentos virtuais.

Conheço muitas pessoas que já se arriscaram pela internet à procura das suas almas gêmeas (tem até um portal com esse nome). Engana-se quem pensa que este é um comportamento de adolescentes tímidos, que passam horas e horas em frente a um computador. Tem muita mulher adulta e rodada que se aventura na web à procura de uma paquera.

Quem já experimentou frequentar chats sabe o quanto as pessoas são 'lindas, perfeitas e ricas'. Seus nicks são os mais sugestivos possível e eu poderia listar aqui uma infinidade deles, mas deixo esse detalhe para a imaginação de cada um.

Os chats e sites de relacionamentos são um prato cheio para os mentirosos. Não vou afirmar que lá só existam pinóquios, mas, como é muito mais fácil enganar a sua presa quando não se tem o recurso visual, os espertos deitam e rolam. Portanto, muita cautela nessa hora.

Outro dia uma colega de trabalho estava toda empolgada no banheiro se arrumando para a night. Quando eu entrei, ela foi logo abrindo o verbo: "Hoje vou a um encontro às escuras". Pensei comigo: "Que diabos será isso?". Mas antes de terminar de pensar, a desinibida foi logo dizendo: "São encontros marcados com a pessoas que não conhecemos com a finalidade disso virar uma noite, digamos assim, quente".

Bom, quem sou eu para criticar essas coisas. Mas, curiosa como sou, fui pesquisar e descobri que existem até agências para promover esses encontros às escuras, ao preço em torno de R$ 300,00. Aff!!! Onde fica a paquera gostosa, o esforço em agradar quem se gosta, para ganhar seu coração? Será que estou sendo romântica demais? Sei não...

Já tive também minha fase mercenária. Houve uma época que eu queria me vingar dos homens, e fazer com eles o que eles faziam comigo: usar e jogar fora. Mas um belo dia eu cansei da brincadeira e percebi que, para afastar os canalhas, também me afastava dos bem intencionados. Mas essa é uma outra história.

Também já tive minhas paixonites virtuais. Muita gente não entende, critica, desacredita. Nem eu sei explicar como isso acontece. Meu último affair virtual foi o Walt, que sumiu no mundo sem dar explicação, mas deixou uma saudade imensa. Era uma pessoa que me fazia rir, inteligente, espirituoso, divertido e atencioso. Não sei onde ele está, nem o que anda fazendo. É muito fácil sumir na net. Basta trocar o nick, escrever de forma diferente e tem-se uma nova identidade.

Confira dez dicas listadas pela revista Times, que vão lhe ajudar a tirar máximo proveito do namoro virtual.

1. Não perca tempo. De acordo o jornal, um terço das pessoas que namoram na internet são casadas, então o melhor é aprender a ler as entrelinhas para não cair em uma cilada. A matéria lista ainda alguns sinais de alerta: ligações recebidas somente de celulares, principalmente em horários incomuns; recusas a dar um telefone de contato; encontros são marcadas sempre para as noites de sábado - nunca durante o dia.

2. Procure conversar ao telefone com o namorado virtual antes de se encontrar com ele pessoalmente. Um papo pode lhe mostrar muito mais do que meras trocas de e-mails.

3. Se depois de uma boa conversa ao telefone você não gostar do que ouviu, reflita se vale a pena se encontrar pessoalmente. De acordo com a publicação, o ideal seria você partir pro olho no olho apenas quando há chances de envolvimento afetivo e intelectual.

4. Fique esperta: conheça o potencial namorado o quanto antes, assim, você cria menos expectativas e projeções. E acredite, quanto maiores elas forem, maiores as chances da pessoa não ser nada do que você espera.

5. Saiba discernir entre otimismo e precaução. Enquanto você tiver razões para acreditar que seu paquera é um cara normal, fique atenta para não ser enganada: o encontre em um lugar público, conte a uma amiga aonde você vai, carregue sempre um celular e jamais aceite carona.

6. Evite marcar encontro nos seus lugares preferido. Se a relação não der certo, você corre o risco de topar com o sujeito a qualquer hora.

7. O primeiro encontro deve sempre acontecer durante o dia. Em lugares mais cheios e movimentados, você estará mais segura.

8. Durante o dia você ainda tem mais uma vantagem: consegue enxergar melhor a aparência do outro. Segundo o Times, pesquisas apontam que cerca de 33% das pessoas que namoram pela internet costumam mentir sobre seus dotes físicos. Então, por que não abusar da ajuda extra da luz do dia?

9. Uma idéia é transformar o primeiro encontro em algo menos duro e constrangedor. Saia do comum, a combinação mesa de bar, som ambiente e xícaras da café tendem a criar um ambiente tenso. Que tal, então, combinar um jogo de baralho ou ainda uma partida de mini golfe?

10. Agora, se depois de um encontro ele insiste em não retornar suas ligações, não entre "em parafuso". Provavelmente você também já fez o mesmo, ou irá fazer antes do que imagina.

Não sei se essas dicas servirão pra alguém. Quando a gente quer fazer besteira, faz com dica ou sem dica. Mas fica aí mais uma dica: siga seu coração e tenha muito cuidado. As relações virtuais podem ser muito mais perigosas do que as presenciais.

Nenhum comentário: