22/04/2009

Aprendiz 6

A tarefa do "Aprendiz 6" desta terça-feira (21) repetiu uma prova que já foi feita em temporadas anteriores do reality show, mas realizada de maneira inversa. Em vez de comprar itens inusitados pelo menor preço, desta vez os candidatos tiveram que vender itens diversos pelo valor mais alto.

Cada grupo tinha dez itens para vender: uma barraca de camping, uma carranca, um par de brincos de ouro, um jogo de pneus, uma máquina de algodão doce, uma camisa autografada do São Paulo Futebol Clube, um cão da raça shitzu, uma TV de 42 polegadas, um palm centro e uma passagem aérea para Madri. O grupo vencedor seria aquele que vendesse mais itens pelo valor mais alto. O cálculo de pontos foi feito multiplicando o valor dos itens pela quantidade deles.

Por ter dois integrantes a menos, o grupo Best pôde escolher alguém da equipe adversária para completar o time e o líder Lucas optou por levar Karina. Com número igual de participantes, as duas equipes foram às ruas tentar vender os itens.

Ao final da tarefa cada grupo deixou de vender apenas um item. A equipe Best não conseguiu negociar o palm e a Maxxi não achou comprador para a máquina de algodão doce. Roberto Justus decidiu penalizar a equipe Best por aceitar uma doação de R$ 100 e descontou 30% dos pontos, porém mesmo com a penalização a Best sagrou-se vencedora com 17% a mais de pontos. O próprio líder Lucas resolveu se castigar por causa da doação e não desfrutou da recompensa, que foi uma viagem para Porto Alegre.

Na sala de reunião, Roberto Justus criticou o desempenho da equipe Maxxi, que não conseguiu vender nenhum item por valor superior ao da equipe adversária, empatando somente em dois. Ao ouvir como desculpa a frase "a gente tentou", o empresário foi categórico: "Tentar é argumento de perdedor. Bem-sucedidos não tentam, eles conseguem".

A líder Marina perguntou se poderia levar apenas uma pessoa para a segunda parte da sala de reunião e foi criticada por Justus, que disse que essa atitude é de uma pessoa burra, que passará a ter 50% de chances de ser demitida contra 33% quando a sala é composta por três pessoas. Ela acabou levando Taila e Stephanie.

Antes de iniciar a segunda parte da sala de reunião ele ouviu os conselheiros Walter Longo e Cláudio Forner, que concordaram com a demissão de Taila neste episódio. Justus pediu para cada participante voltar separadamente e que elas tentassem vender a máquina de algodão doce - o único item que o grupo não negociou - aos integrantes da mesa. Taila foi eleita a pior nesse pequeno teste de Justus.

Então, sem alongar muito as discussões, Justus resolveu demitir Taila por seu histórico negativo no programa. Na primeira tarefa ela errou e foi para a sala de reunião, na segunda prova não se destacou, na terceira foi escolhida pela líder para não desfrutar da recompensa e na quarta tarefa não conseguiu vender nenhum dos itens. O empresário ainda completou: "Não foi uma decisão difícil diante das evidências".

Nenhum comentário: