27/04/2009

Cantando contra o preconceito


Acredito que todos saibam quem é Susan Boyle. O assunto já é um tantinho tardio, mas, como ainda me emociona, acho que vale o post.

Susan é uma cantora amadora escocesa que se tornou célebre por sua aparição, em 11 de abril de 2009, no reality show Britain's Got Talent.A esquisita e simpática senhorinha debutou no programa cantando "I Dreamed a Dream" do musical Os Miseráveis, na fase preliminar.

Antes de cantar, tanto os jurados quanto o público demonstraram desconfiança por sua aparência desleixada e comportamento inseguro. Em resposta, após a surpreendente apresentação, ela foi ovacionada pelo auditório e atordoou os juízes. A audição ocorreu em janeiro de 2009 no Clyde Auditorium de Glasgow, Escócia.

O constraste de sua performance com a primeira impressão dada geraram repercussão global. Artigos sobre ela apareceram em jornais de todo o mundo, enquanto vídeos hospedados na internet com sua apresentação bateram recordes. Um dos anfitriões do programa, Simon Cowell, planeja assinar contrato com a cantora amadora através do selo Sony Music. Além disso, ele também planeja fazer um filme sobre a história dela, sendo este, porém, mais focado no desejo dela de participar do Britain's Got Talent e, consequentemente, sua vitória no programa. A atriz Demi Moore estaria cotada para viver Susan.

Vamos conhecer um pouquinho da vida dessa mulher que virou uma febre na internet?

Susan é filha de um vendedor de fábrica e uma datilógrafa. Nasceu em um parto difícil, quando sua mãe tinha 47 anos e já com mais 10 filhos. Susan ficou sem oxigênio, sofrendo danos cerebrais e foi diagnosticada como uma pessoa com dificuldade de aprendizagem.

Já adulta, Susan foi empregada na cozinha de uma escola, mas jamais deixou de sonhar. Ela costumava ir ao teatro para assistir cantores profissionais, e em 1995, ela concorreu no programa de Michael Barrymore chamado My Kind of People, que fez seleção no Braehead Shopping Centre em Glasgow, mas ela declarou ter ficado muito nervosa para se sair bem. Em 1999 fez sua única gravação, para um CD de caridade, cantando Cry Me a River. Ela acreditava que as pessoas seriam selecionadas pela sua aparência.

O pai de Susan morreu nos anos 90, e seus irmãos partiram de casa, ficando para ela a responsabilidade de cuidar da mãe - morta em 2007, aos 91 anos. Susan continua a viver na casa de quatro cômodos da família, junto ao seu gato Pebbles. A mãe fora uma incentivadora da carreira musical da filha, tendo Susan vencido inúmeros concursos locais de canto, e insistiu para que ela concorresse no Britain's Got Talent, afirmando que deveria correr o risco de cantar para um grande público em vez da igreja local. Susan disse que não estava pronta para fazer isso até depois da morte de sua mãe. A primeria vez que Susan cantou desde então foi justamente em sua performance no show televisivo.

Susan atualmente está desempregada, e é uma voluntária de uma igreja da comunidade cristã católica. Até recentemente, poucas pessoas de fora da vila de Blackburn tinham ouvido falar de Boyle, que vive na casa modesta que dividia com sua mãe viúva, morta há dois anos. Nos últimos dias, ela apareceu em TVs do mundo todo. A atriz Demi Moore é uma de suas fãs.

A platéia do programa riu quando Boyle apareceu no palco com o cabelo encaracolado e com um vestido desalinhado. Ela disse ao público que nunca foi beijada e atraiu olhares céticos quando disse que gostaria de ser uma cantora profissional, como a estrela da Broadway Elaine Page.

Então ela começou a cantar "I Dreamed a Dream", do musical "Os Miseráveis". Sua voz ascendente atraiu olhares assustados e então sorrisos de satisfação dos jurados Cowell, Amanda Holden e Piers Morgan. A platéia aplaudiu a apresentação de pé.

Cowell descreveu a cantora como "extraordinária". Morgan disse que a performance "impressionante" foi "a maior surpresa que tive em três anos de programa".

Susan enfrentou seus temores, encarou platéia e jurados preconceituosos, e cantou. Lindamente, suavemente, brilhantemente. Cantou por todos os que são julgados pela sua aparência, pelo seu aspecto físico, pela sua idade, pelo excesso de peso, pela falta de beleza. Susan Boyle mostrou para o mundo que é possível ser admirada, mesmo que esse mesmo mundo lhe vire as costas e lhe diga, mesmo que veladamente, que você não tem esse direito.




“Eu nunca acreditei que era boa o suficiente. Foi só após a morte de minha mãe que tomei coragem para fazer minha inscrição. Foram tempos difíceis, sofri de depressão e ansiedade. Mas após a escuridão vem a luz. Queria que minha mãe tivesse orgulho de mim, e a única maneira de fazer isso foi correndo o risco de participar do show” (Susan Boyle)

Nenhum comentário: