12/04/2009

Francine, a Estrela que brilhou no Faustão!


Acabei de ver o vídeo com as entrevistas dos finalistas no Domingão do Faustão. Confesso que fiquei encantada com a Francine que lá vi, pela primeira vez, depois da noite da vitória de Max. Irrepreensível sob todos os aspectos: na postura correta do corpo perante a platéia, na forma calma, ponderada e transparente como respondeu a todas as perguntas, na espontaneidade dos gestos, nos posicionamentos educados e respeitosos em relação aos outros participantes do BBB9. Até a maquilagem, os cabelos e os trajes estavam perfeitos. Que orgulho senti dela!

Francine foi, incontestavelmente, a ESTRELA que brilhou absoluta, irradiando a sua luz naquele palco. Faustão concedeu a ela privilégios não concedidos à Priscila e à Ana: a apresentação de vídeos mostrando as cenas de fatos sobre os quais ela respondia, confirmando, assim, a verdade das suas respostas, sobre questões polêmicas como a sua briga com Maíra na qual esta a chamava de burra mais de uma vez, cheia de ira, enquanto Fran se mantinha solene, calma e controlada, como ela dizia e ninguém acreditava. E não somente: o vídeo da entrevista com Maíra mostrava esta negando ter chamado Fran de burra e distorcendo os fatos, mostrou vídeo mostrando cenas de Flávio na xepa e na casa formando um trio com ele e Max, mas, também na fase final já se jogando para Max e mais afastado de Fran. E, finalmente, veio o terceiro Vídeo, mostrando a cena comovente e inesquecível em que ela vê o pai nas arquibancadas, no dia do seu paredão.

Fran respondeu a tudo com tanta segurança, precisão e transparência que não deixava chances de ser posta em dúvida o que declarava. Ela foi maravilhosa na forma como falava, reforçando o que dizia com aquele jogo fisionômico e gestual que a torna engraçadíssima e sedutoramente leve e expressiva. A resposta sobre as críticas de Ana ao beijo que trocava com Max na casa, começou na maior seriedade, esclarecendo que não era do feitio dos dois fazerem exposição de momentos que só era do interesse dos dois. Mas ao declarar que ninguém sabe como beijavam sob o edredom, ela o fez bem no seu estilo moleca sapeca, arrancando risos de Faustão. Francine estava linda!


Quanto à entrevista de Priscila, não tenho muito a dizer. Pareceu-me um tanto formal, seguindo quase o mesmo roteiro da de Ana Carolina. Destaco apenas duas respostas dela. Uma para um jovem da platéia que lhe perguntou como ela explicaria o que disse no chat sobre Max, ou seja: que ele é como um irmão, para você, se votou três vezes nele para o paredão? Aí, veio a resposta dela sem noção, no estilo conversa mole para boi dormir, que sempre achei descabida e ridícula: “Eu agi assim, porque tinha que ser sincera e inteira. Conhecemos ele (sic) de um jeito e ele mudou. Isso me incomodou. No final ele voltou a ser ele (sic)”. O incrível nessa lengalenga de Priscila é que somente ela viu tal mudança em Max (conotando falsidade e máscara), ninguém mais votou nele por este motivo, a não ser o invejoso obsessivo Ralf e ela. A outra resposta, por sinal digna de aplauso, foi uma diretíssima para baixar os faróis de Ana. Faustão perguntou-lhe se ela achava que as pessoas mudam dentro da casa. Priscila mandou bala: “Sim, mudam. Tem gente que entra e cria uma personagem. Quando sai da casa, dá uma pioradinha!”



Em relação à Ana Carolina não tenho nada edificante para comentar. Ao contrário de Francine e de Priscila, adotou uma postura absolutamente e lastimavelmente deselegante, especialmente por não saber ficar de pé de forma correta, de pernas juntas e não com elas abertas. Um vestido tão caro envergado com tanta deselegância! Mas o mais execrável foi a atitude de desprezo e de zombaria, com gestos e caretas, balançando o corpão, para platéia (ou para alguém da família) sem a mínima noção do ridículo que fazia e da bandeira de despeitada, frustrada e invejosa que levantava, enquanto Francine falava bem dela respondendo à perguntas de Faustão sobre a visão que a Fofurinha tinha da popularidade de Ana na casa. O comportamento dela, só confirmou a sua aflitiva imaturidade, sua insistência em comportar-se como uma adolescentezinha mimada de índole duvidosa e mal educada. Que mico! Que papelão!

Das três foi a que teve menos perguntas da platéia e menos perguntas de Faustão. Inclusive ele cortou a entrevista, quando Ana começara a responder à pergunta: “Como você viu a vitória do lado B?” Quando ela disse: “Não gostei”, o apresentador chamou os comerciais. Bom, ele viu Francine respondendo às suas perguntas com os olhos postos nos olhos dele, com humildade, com compostura e transparência. Na posição em que ele estava dava para ver o que fazia Ana Carolina.

Sobre Max, escreveremos depois de vê-lo no Fantástico! Hoje é o dia de Francine!

Ana e Priscila


Francine

Nenhum comentário: