05/09/2009

A obsessão que leva à morte


A próxima novela das oito da Globo, Viver a Vida, de Manoel Carlos, vai trazer uma personagem vivida por Bárbara Paz que sofre de drunkorexia. Para quem não conhece o termo, foi criado para designar um transtorno alimentar em que as doentes (porque a maioria é mulher) bebem em vez de comer para emagrecer. Elas transformam a obsessão pela magreza em uma compulsão pela bebida.

Outro dia conversando com os administradores de uma clínica de recuperação de usuárias de drogas, fiquei sabendo que o número de familiares de jovens que os procuram para tratar de drunkoréxicas está crescendo. Além da óbvia supervalorização da magreza e dos inatingíveis padrões de beleza, muitas meninas acabam se tornando drunkorexicas por questões mais complexas, e internas.

Segundo os estudiosos dos distúrbios alimentares, eles costumam surgir em pessoas que já possuem algum trauma ou transtorno psicológico. Muitas são depressivas e uma parte considerável foi abusada ou negligenciada na infância.

Há cerca de um ano, o New York Times fez uma matéria sobre o assunto. Nela, uma jovem dizia que bebia para ficar mais calma. “O álcool tira minha ansiedade. As duas coisas caminham juntas. Quanto mais eu bebo, mais eu entro no meu distúrbio alimentar, e vice-versa”. Em uma comunidade extinta do Orkut, uma jovem dizia que se sentia mais magra quando estava bêbada.Para ilustrar esse post, peguei uma foto da fotógrafa Ivone Thein. Ela realizou um trabalho com anoréxicas norte-americanas.

Fonte: Época

Nenhum comentário: