15/09/2009

Quando ficar sem os cabelos é a única opção!


Na novela das 19 horas, uma personagem teve que raspar a cabeça após tratamento com quimioterapia para a cura de câncer no seio. Já é a segunda novela que aborda este assunto, talvez porque a incidência de casos da mesma natureza levem as mulheres a terem que aceitar a perda dos cabelos, ficando muito deprimidas e sentindo-se mutiladas e feias. Mesmo com a ajuda das perucas, o constrangimento é muito sério para muitas delas, mesmo sabendo que voltarão a ter suas belas cabeleiras de volta.

Bem diferente é o caso das mulheres que sofrem de uma doença chamada alopecia areata que afeta o couro cabeludo e faz com que as madeixas caiam no chão, como aconteceu com a inglesa Aimee Blinkhorn que aos 12 anos começou a ser afetada por esta doença devastadora, para a qual não há cura. Com o passar do tempo , ela só se agrava..

“Agora imaginem uma garota ter que ver sua linda cabeleira desaparecer em plena adolescência, exatamente na fase da autoafirmação, de ser aceita pelo grupo. “Eu queria ser uma garota normal e detestava o fato (ser careca) que me fazia ser diferente”, disse ela ao jornal Daily Mail.

Dois anos após perder todos os cabelos, de uma hora para outra, eles começaram a voltar. Ao se olhar no espelho, Aimee pensou que sua vida retomaria e ela não teria mais que usar chapéus e gorros. Mas foi pura ilusão. Do mesmo jeito que eles voltaram, despencaram no chão em apenas um dia. E lá estva Aimee careca novamente. Só que desta vez foi pior. Não foi apenas sua moldura capilar do rosto. Todos os pelos do corpo desapareceram como um sinal de agravamento de sua enfermidade. “Encharquei meu travesseiro de tanto chorar”, diz a moça.

Durante 14 longos anos, Aimee lutou contra sua calvície. Ela visitou médicos e especialistas que pudessem apresentar uma solução para seu caso. Nenhum deles descobriu a causa da doença e diziam que em muitos casos, o estresse está diretamente relacionado a essa perda dos cabelos. Causas genéticas também foram apontadas. Depois de usar todos os tipos de adereços como perucas variadas, Aimee, aos 26 anos, resolveu assumir a ausência de cabelos. “Quero mostrar ao mundo que uma mulher não deve se envergonhar de ser careca”, disse ela.

Ao ler esse depoimento, pensei nas minhas amigas que fizeram quimioterapia para tratar o câncer e perderam seus lindos cachos. Algumas assumiram completamente sua nova condição, apesar de não ter sido fácil.”

E você, conhece alguém que passou por isso?

Nenhum comentário: