24/11/2009

A concorrência pega carona


É a uma questão agrária: a propriedade é das grandes e está dando bons frutos, mas já tem um bocado de gente correndo atrás da parte que lhe cabe neste latifúndio. Com boas marcas no Ibope desde sua estreia, quando teve 15 pontos de média e ficou em primeiro lugar por 29 minutos, o reality show A Fazenda 2 está ganhando "sócios" de seu sucesso e, a exemplo do que aconteceu com edições do Big Brother Brasil, vem dando carona para a audiência de outros programas da Record e até mesmo para emissoras concorrentes.

No último domingo, o Pânico na TV, da Rede TV!, estreou o quadro Xurupita's Farm, uma referência escancarada ao concorrente. Sabrina, as Panicats, Zina - o "fazendeiro" oficial 0 e metade do elenco de humoristas ficaram confinados por dois dias numa fazenda em Espírito Santo do Pinhal (SP) para a gravação de uma versão bem-humorada.

"Como a gente não tem munição para lutar contra o investimento da Record, criamos o quadro para entrar na luta da audiência", diz Alan Rapp, diretor do humorístico, que assumiu estratégia mais pacífica depois de o programa ser proibido judicialmente de exibir imagens em que O Impostor tentava invadir a propriedade, na primeira edição. "Decidimos arriscar de novo, pois, de certa forma, estamos até fazendo uma propaganda para eles".

Segundo Alan Rapp, o quadro foi muito bem recebido pelo público e deve continuar no ar, mas não vai se ater aos acontecimentos de A Fazenda. "Não pretendemos reproduzir, a não ser que aconteça algo sensacional, como a Bombom andar nua num cavalo", brinca Rapp.

Mas a exploração do programa começa já na própria Record, quando os assuntos de A Fazenda são abordados em programas como o Hoje em Dia e Geraldo Brasil, e são transformados em paródia no Show do Tom, que exibe O Curral 2. "Todo o tipo de brincadeira é sinal de sucesso, ou a piada não seria entendida. O Tom Cavalcanti imitando o Britto, por exemplo, é hilário", diz o diretor de A Fazenda, Rodrigo Carelli, com relação ao personagem Cabrito Jr. Carelli, no entanto, tem ressalvas a fazer: "Não vi o Pânico pois estávamos no ar. Acho estranho e de pouca criatividade usar elementos nossos para a concorrência, mas não tira a graça".

Também semelhante ao que aconteceu em edições mais polêmicas do BBB, A Fazenda virou alvo de programas que investem em fofocas, como A Tarde É Sua, da Rede TV!. "Nestes casos, sinto aflição quando vejo. Pois temos cuidado em mostrar o que os artistas fazem e deixar que os telespectadores criem suas opiniões. Mas esses programas muitas vezes distorcem as coisas, fazem os próprios julgamentos", diz Carelli.

A Fazenda 2 contra BBB 10

Se até agora A Fazenda 2 vem superando as expectativas - "Estamos tendo médias bem maiores que a da primeira edição, e numa época que o número de TVs ligadas é menor", diz o diretor Rodrigo Carelli - a produção já está se armando para um novo combate: o Big Brother Brasil 10 deverá estrear na segunda semana de janeiro. "Nós ainda estamos decidindo se mudaremos o nosso horário de exibição (21h) para batermos diretamente de frente com o BBB. Daí, teremos que tomar algumas medidas", diz, misterioso, o diretor.

Nenhum comentário: