09/04/2014

Gramado e Canela

Voltamos de Pernambuco já com outra viagem engatilhada: Gramado. Saímos do calor gostoso do Nordeste quase que direto para o frio também gostoso do Sul. Só passamos em casa pra trocar as malas e pegar mais uma passageira. O único susto foi minha filha ter despachado meu comprimidinho com a  bagagem dela. Ainda bem que a minha ex-sogra tinha os dela na bolsa de mão e me cedeu uma metade. Ufa!
 
 
- passeio de Maria Fumaça - 

O Sul Serra Hotel era bem simples, contrastando bastante com o luxo e conforto do resort. Mas o preço era bom, a localização excelente e o café da manhã era bem decente. O aquecedor funcionou direitinho, o chuveiro quente também. O quarto era grande mas confesso que me senti bem presa dentro dele. Não se podia abrir as janelas por causa do frio e para ver a cara da rua tinha-se mesmo que ir para a rua. E fomos.
 
As rodovias são um tapete. Não me lembro de ter caído em algumm buraco, como caí em vários no Nordeste. No Sul, a sinalização é bem bacana e dirigir é um prazer. Lá também alugamos um carro. Para quem gosta de dirigir, é uma excelente opção. Nada que um carro e um bom GPS não te façam ir a lugares que talvez você não fosse de táxi ou de ônibus. Pegamos uma época do ano em que as estradas são margeadas de hortênsias. O destaque vai para os cemitérios, que também são totalmente floridos, contrastando com a tristeza que o lugar sempre nos traz.
 
 
No passeio que fizemos através da Rota dos Vinhos até chegar ao trem Maria Fumaça, passamos no showroom da Tramontina e valeu muito a pena. Os preços são bons se comparados aos das boas lojas do ramo e ainda dão desconto para quem vai com guia, como foi o nosso caso.  
 
miolo5
 
Passamos pela fábrica de chocolates Caracol (Reino do Chocolate Caracol), caminhamos no Lago Negro, fizemos uma visita à Vinícola Miolo (com direito à degustação), conhecemos o Parque do Caracol em Canela, que tem uma vista estonteante de cima de um observatório: uma cachoeira deslumbrante! Não tivemos coragem nem pernas para descer os mais de setecentos degraus para ver a cascata de pertinho. Mas valeu pelo visual.
 
caracol2
 
Conhecemos também o Museu da Moda, também em Canela. Confesso que quando minha filha insistiu para entrar, não me senti muito animada não. A entrada foi bem carinha e achei que não valeria o gasto. Mas ó....me enganei. É um museu particular de 2500 m² de área construída, que faz uma viagem no tempo, contando 4000 anos da história do vestuário feminino. As peças foram construídas conforme a pesquisa da empresária e estilista Milka Wolff e a curadora do Museu Débora Elman. Tanto a tecelagem, o tingimento, assim como a costura das peças da exposição obedece, rigorosamente, o período que retratam, assim como os detalhes e os aviamentos.
 

 
Adorei essa viagem! O frio, os fondues, o vinho, a limpeza da cidade, a educação no transito, onde não existe um semáforo sequer e todos respeitam as leis de transito, tanto motoristas quanto pedestres, os preços de roupas e calçados, a educação dos vendedores de todas as lojas que entramos, fosse para comprar ou somente para olhar. Voltamos com as malas bem mais cheias do que elas chegaram lá pois, além de faqueiros, facas avulsas, presentinhos, ainda trouxemos uma pedra muito pesada como essa daí embaixo, para fazer fondue de carnes.
 

 
 Deu até fominha agora!

Um comentário:

tony disse...

Parabéns!! Viagem maravilhosa ! E que foundue divino !!