28/10/2007

.


Ela passava todos os dias pelo mesmo lugar. Nunca tinha notado a sua presença. Passava tão distraída que não percebeu que ele se preparava para surpreendê-la de uma forma que ela jamais esqueceria.

Um dia, aconteceu. Ele surgiu do nada, tomou forma diante dos seus olhos e chocou-se ao encontro dela. Ela não teve nem tempo para as apresentações. Ele a tomou sem avisar e a rasgou por baixo. Seu corpo estremeceu com tamanha volúpia como se ela fosse à Lua e voltasse.

Depois dos mágicos segundos de confusão mental que são característicos numa ocasião como essa, ela voltou a si. Olhou ao redor, procurou aquele que a invadira tão intensamente. E ele estava ali, bem em baixo dela, repousando após o estupro inevitável: o quebra-molas.

Nenhum comentário: