09/09/2008

Distração

Passei a vida inteira procurando um grande amor. Daqueles arrebatadores, inesquecíveis. Talvez eu não os tenha encontrado, porque hoje, não consigo me lembrar de nenhum deles com saudades ou com satisfação.

Passei sete anos da minha vida tentando ter meu segundo filho. Queria ter meia dúzia; era meu sonho. Talvez porque tenha desejado demais, me preocupado demais, o segundo filho não veio, muito menos os seis que eu sonhara ter.

Engraçada a vida. Às vezes passamos um enorme tempo correndo atrás de um sonho, de um ideal, de uma realização profissional, pessoal, enfim, de concretizar objetivos e, muitas dessas vezes, a coisas não se realizam.

Amores que se vão, amigos para quem juramos amizade eterna e que hoje nem sabemos por onde andam, aquele cargo que tanto almejamos e que não conseguimos obter, os sonhos que não conseguimos transformar em realidade.

Quantas vezes as pessas perdem seu precioso tempo ferindo, insultando, invejando, tendo pensamentos menores, não praticando o bem, não cuidando somente das suas vidas, tentando viver à sombra dos outros, caluniando, guardando mágoas e rancores, não sendo dignos de serem chamadas de 'seres humanos'?

Já faz alguns dias que me encantei por uma música, que fala exatamente sobre isso e eu gostaria de partilhar seus lindos versos com vocês. É para refletir...

DISTRAÇÃO - ZÉLIA DUNCAN

Se você não se distrai, o amor não chega
A sua música não toca
O acaso vira espera e sufoca
A alegria vira ansiedade
E quebra o encanto doce
De te surpreender de verdade
Se você não se distrai, a estrela não cai
O elevador não chega
E as horas não passam
O dia não nasce, a lua não cresce
A paixão vira peste
O abraço, armadilha
Hoje eu vou brincar de ser criança
E nessa dança, quero encontrar você
Distraído, querido
Perdido em muitos sorrisos
Sem nenhuma razão de ser
Olhando o céu, chutando lata
E assoviando Beatles na praça
Hoje eu quero encontrar você
Se você não se distrai,
Não descobre uma nova trilha
Não dá um passeio
Não rí de você mesmo
A vida fica mais dura
O tempo passa doendo
E qualquer trovão mete medo
Se você está sempre temendo
A fúria da tempestade

Nenhum comentário: