21/03/2009

Max, um anjo em apuros!

O programa avança no tempo, o estresse aumenta e o veneno começa a jorrar das lingüinhas dos que se sentem ameaçados pelo primeiro casal que surgiu na casa e que permanece junto, entre tapas e beijos, briguinhas e ternura. O casal incomoda, mas Max é o “fantasma” que assombra o imaginário de Ana, Joseane, Priscila, Milena e Flávio. Agora que ele tem o poder de imunizar alguém, todos do Grupo B almejam ser o escolhido. O silêncio de Max sobre o assunto, deixa-os ansiosos. Flávio acha que será Fran a escolhida, não escondendo certa censura ao dizer que ele salvará Fran por receio da reação dela (o voto dele é certo em Max ou em Fran).

Boninho, no indisfarçável desejo de ensejar que todos ficassem juntos noite adentro, mandou um belo "presente de grego" para a turminha solitária e chegada a um edredom: muita bebida e petiscos. O cara repolhuda acertou na mosca. Até Ana deu uma trégua à representação da comédia “A donzela injustiçada e perseguida”, seduzida pelo encanto de poder soltar a língua, dar umas alfinetadas e sair do semi-jejum de fofocas, só quebrado quando encontra a linguaruda líder.

Na varanda, a prosa foi amena, até Flávio, Joseane e Max irem dormir. Daí por diante Pri, Fran, Ana e Milena continuaram a conversa direcionada a Max. Pri conta que o carioca mudou. "Quando a gente conheceu o Max na xepa, ele pareceu outra coisa. Ele era humilde, trabalhador, maneiro, guerreiro. Caiu o muro, e a Naná disse para ele que ele era um jogador. Ele afirmou que era e incorporou o jogador. Mudou completamente. Aquele Max que a gente se apaixonou, já era. Ele vestiu a máscara e virou isso". Pri entende algumas atitudes do brother, mas diz que ele exagera: "Aqui é um jogo, eu entendo, mas ele incorporou demais. Ele estuda o que ele faz. Já pedi para ele voltar como foi na primeira semana aqui no programa".

Ana mostrou-se incrédula: "Não consigo ver esse Max que vocês viram", diz a catarinense. Fran defende o namorado: "O benhê não quer fazer personagem nenhum. Ele quer ser só sério num negócio que é sério para ele".Em seguida, comentam sobre a briga entre Francine e Maíra, e dizem que Max não tomou partido de Fran. "Nós mulheres queremos que o homem levante e vá defender a gente", diz Pri, entrando em contradição com a sua condenação às mulheres que esperam proteção de homem. "Ele não está errado em ter ficado na dele porque ela é louca", completa a sul-mato-grossense, se referindo à Francine, repetindo a pseudo e pejorativa loucura de Fran. "Ela estava fazendo um papel ridículo, por isso não recrimino a postura dele", finaliza. (Agora há pouco, Priscila, esquecendo o que falou sob o efeito do álcool, defendia Max das queixas de Francine sobre não ser protegida por Max. Que clima, Deus meu!).

Ana Carolina diz que não entende a postura do artista plástico e afirma que não concorda com o fato de Max não ter ficado ao lado de Francine na discussão. "Isso é uma atitude de quem não é homem, de quem não protege a sua mulher. Você nunca deve se conformar com pouco, ser tratada como um cachorro vira-lata sarnento”, acrescentando que, se ele não imunizar Fran, vai cair mais ainda no seu conceito e que não escapará do paredão. (Como se fosse novidade que o voto dela ser para Max).

Depois de muito escutar, Fran resolveu defender o namorado. "Eu gosto dele do jeito que ele é. Gosto do jeito que ele é comigo. Já tive bastante namorado e estou acostumada, pois isso não é nada comparado ao que eu já levei na vida. Tudo que a gente faz aqui é julgado, então somos responsáveis por aquilo que fazemos aqui. Se eu tivesse vendo em casa, não iria gostar", completa a gaúcha, se referindo à briga com Maíra. (Há poucos minutos, no desabafo com Priscila, Fran disse, sobre Max, o contrário disso tudo, ouvindo de Priscila, da mesma forma, palavras inteiramente opostas às que disse contra Max na conversa da varanda, longe dos ouvidos da gaúcha).

A Fran e o Max formam um casal estranho... não me fazem sentir falta de um par", "Você já viu eles se beijando?”“, pergunta a morena. Pri diz se incomodar com a situação: "O Flávio mesmo diz que é beijo de velho. Foi por isso que votei nele. Votar em você e Naná não iria fazer bem ao meu coração. (Votou e vai votar novamente no domingo, mas não por discordar da forma como ele se relaciona com Fran, mas por ter receio da concorrência dele no jogo).

Depois que Priscila e Fran saem, Milena e Ana continuam o papo na varanda, voltando a falar de Max. A amazonense disse que tem pelo carioca um carinho enorme, apesar dele ter tirado Ralf do jogo. "O Max tirou o Ralf daqui. Ana contesta opinião da manauara: "Quem tirou o Ralf da casa foi o povo, mas quem o colocou no paredão foi o Max". Milena explica que respeita a decisão do carioca. "Respeito o voto do Max, mas nunca consegui me acostumar com a ideia dele ter votado no Ralf”. (Mais um voto em Max no próximo paredão).

Depois de algumas chorumelas de Ana para Milena, ambas decidem ir dormir, já raiando o dia. Mas, as conversas alcoolizadas de Milena e Pri com a sóbria Ana Carolina surtiram efeito no emocional de Francine. Esta amanheceu jururu e cheia de neuras com Max. Nesse estado depressivo, fez um inconvenientíssimo desabafo com Priscila, que findou me irritando, seja por causa das queixas descabidas contra Max, algumas fruto se sua natureza melindrosa e exigente, caindo em contradição, depois de tê-lo defendido na madrugada; seja por ver Pri animando a “amiga”, elogiando o carioca, enumerando as muitas qualidades de Max, falando que o bem que ele faz a ela compensa todas as coisas ruins que tenha feito, aconselhando-a a curtir a relação, deixando de enxergar o Benhê pela ótica dos outros, também contradizendo tudo de ruim que disse dele e do casal sob o efeito da bebida. Pri continua decepcionando-me!

Claro que as conversas da madrugada só exerceram influência em Fran, porque ela já estava melindrada com Max, por um motivo futilíssimo: ele não estava cumprindo a promessa de dividir com ela os cuidados com o bebê chorão, ficando ao seu lado. Poooooode? Gosto demais da Fofurinha, continuo torcendo por Max e por ela, mas não consigo aceitar semelhante puerilidade, tamanho empenho em encontrar pêlo em ovo. Razão teve Milena quando, ao entrar no quarto e escutar as queixas contra Max, disparou: “você esquece que ele tem agüentado muito mais de você?” Essa não me decepcionou ainda. Não fala pelas costas, diz à pessoa o que pensa, sem titubear.

Francine desfiou um rosário de críticas contra Max, muitas já antigas e esquecidas que podem empanar o brilho dele na opinião pública. Quem fez o papel de advogado de defesa de Max e de apaziguadora do casal, foi a mesma Priscila que desceu a lenha nele na varanda. Da mesma forma que a Francine defensora de Max na futricagem da madrugada, agora se contradiz. Enquanto isto, Max não a critica, tem toda a paciência com ela e trata-a sempre com compreensão e afeto, mesmo quando ela o trata com maus modos, inclusive rejeitando os seus carinho com mau humor.

Mesmo sendo fã de cada um, independentemente de formarem ou não um casal de namorados, não consigo aceitar a atitude de Francine. A esta altura do jogo e da relação dos dois, não tem mais cabimento briguinhas, arrufos e acusações descabidas. Ela é carente e insegura, certo! Mas é justamente por causa de ambas as coisas que não acredito na sobrevivência do namoro deles, além dos muros da casa do BBB. Ela é uma fofurinha, mas é muito complexa, muito difícil de agüentar no cotidiano pesado da vida real, mais ainda sob o peso da fama relâmpago e do assédio da mídia. Sei que logo mais, ela estará acarinhando o Benhê, esquecendo o que disse e voltando às boas. Mas o publico do PPV já terá escutado tudo e a edição poderá fazer mau uso das lamúrias dela contra Max.

Nenhum comentário: