13/12/2010

BBB Retrô

BBB1Exibido de 29 de janeiro a 2 de abril de 2002, terminou com a vitória do dançarino Kleber de Paula, o Bambam.

Foi apresentada por Pedro Bial e Marisa Orth e dirigida por José Bonifácio Brasil de Oliveira, o Boninho. O prêmio foi de meio milhão de reais sem o desconto de impostos.

O BBB1 foi lançado poucas semanas depois de concluída a primeira temporada da Casa dos Artistas, sucesso do SBT, e tinha como diferencial a proposta de elevar pessoas "comuns" a celebridades. Ainda que nenhum dos participantes do BBB1 fosse familiar do grande público, não demoraram a surgir questionamentos sobre os critérios de seleção dos participantes.

Como não tinham muita noção do que se podia falar dentro da casa, os participantes soltaram informações cruciais sobre suas vidas fora da casa. Kléber Bambam já havia feito figurações em programas da Globo, como o Zorra Total, e já foi dançarino do "Planeta Verão", programa comandado por Xuxa Meneghel.

André Gabeh também já havia cantado em um programa de Xuxa anos antes. Helena Louro já tinha participado de um filme com Gracindo Jr. (A Hora Marcada, 2001). Vanessa Pascale e Bruno Saladini também já haviam aparecido em catálogos de moda e trabalhavam na mesma agência de modelos, assim como Helena. Leka já havia concedido entrevistas no programa Amaury Jr., então na Rede Record.

BBB2Deu Rodrigo na cabeça. O caubói levou no cabresto os outros 11 participantes do Big Brother Brasil e embolsou R$ 500 mil. Com 65% dos votos (foram mais de dez milhões, internet e ligações telefônicas somadas), ele derrotou Manuela e repetiu o feito de Kleber Bambam, o vencedor do primeiro BBB.

Ao saber que havia vencido, Rodrigo escondeu o rosto com as mãos e exclamou: "É ieu?". Em seguida, ele saiu da casa com a segunda colocada Manuela e, emocionado, mal conseguia se manter de pé. Pedro Bial teve que pedir para os ex-BBBs Fernando e Fabrício segurarem o caubói. "Não sei o que está havendo comigo... Estou tremendo todo", disse o dono dos R$ 500 mil. "Ah, você só acaba de ganhar meio milhão. Só isso", disse Bial. Rodrigo dedicou o prêmio ao povo brasileiro: "Eu amo vocês! Os que votaram em mim e os que não votaram também. E vou continuar amando".

E, na seqüência, mais emoção: Manuela e Thyrso se reencontraram e deram um forte abraço e um beijo apaixonado. O amor prevaleceu, mesmo tendo passado por todas as provações e traições. Bial até que insistiu, mas não conseguiu: "Mas você não vai perdoar ela aqui? Como saberemos o final da novela mexicana?". E Thyrso respondeu: "A gente precisa conversar aqui fora. Nossa vida já foi muito escancarada".

Enquanto o casal tentava se entender, o gaúcho Fabrício, pivô de toda a briga, riu e fez chacota do casal.

BBB3

Uma decisão emocionante selou o último dia do Big Brother Brasil. O mineirim Dhomini venceu sua amiga rival com 51% dos mais de 12 milhões de votos computados. "Aaaaahhh!", gritou o assessor parlamentar agarrando a sua adversária e caindo em prantos. O campeão correu para o gramado e disparou a agradecer, em alta velocidade, a todos que o apoiaram em sua vitória, repetindo a oração que fazia todos os dias pela manhã em frente a um espelho.

No encontro com a família, mais emoção e o choro ao ver a filhinha, Ana Clara. O rapaz ainda fez questão de reverenciar o seu mentor espiritual, Isto. Na arquibancada do programa, os outros 12 BBs receberam com muito carinho a baiana Elane. Com tanta festa, ficou difícil para o assessor parlamentar comentar a conquista dos R$ 500 mil.

BBB4
Cida e Thiago fizeram a Final do Cupom e já se sentiam vitoriosos antes mesmo do resultado. Os dois receberam a visita da repórter Ana Furtado, do Video Show, e a ela contaram seus planos para o futuro. A babá ganhou ainda um passeio de helicóptero, que a deixou descontrolada de felicidade.

Ana apareceu de surpresa no telão e quis saber dos BBs por que eles achavam que chegaram à final. "Foi uma benção de Deus. Só Deus pode falar", respondeu Thiago, com o apoio da babá. A repórter ressaltou o fato de Dotadão estar com o lado emocional bastante aflorado e quis saber dos Brothers qual será a primeira coisa que eles farão quando saírem da casa. "Abraçar minha família!", disse Cidoca, sem imaginar a supresa que estava por vir. "Que tal passear de helicóptero com o Video Show?", perguntou Ana Furtado. A babá pulou de alegria e levantou os braços: "Ai, que emoção!".

Ana perguntou para o ex-anônimos se já caiu a ficha de que eles são celebridade no Brasil. Mais saidinho, Dotadão respondeu: "Não consigo imaginar como vai ser quando eu sair daqui. Às vezes eu penso que vou ter fãs, essas coisas. Há pouco tempo atrás eu era um cara comum, levava uma vida normal".

Com a despedida da repórter, os Brothers foram para o jardim degustar um apetitoso almoço italiano. Bebericando vinho tinto, Cida caiu em gargalhadas. "Você está descontrolada, Cida", brincou Thiago. A babá assumiu: "Eu estou descontrolada! Ainda mais depois de receber uma proposta dessas! Imagina, andar de helicóptero!".

À noite, finalmente uma mulher pôs a mão nos R$ 500 mil, o prêmio máximo do Big Brother Brasil. Gecilda da Silva dos Santos, de 21 anos, foi a primeira sister a vencer o maior reality show da TV brasileira. Com 69% dos votos, ela derrotou o amigo Thiago e se juntou à galeria de campeões, que já conta com Kleber Bambam, o caubói Rodrigo e Dhomini. "Obrigada, meu Deus! Obrigada, produção! Obrigada, Big Brother! Obrigada tudo!", gritou Cida ao saber que vencera.

BBB5
O BBB5 foi marcado pela polêmica combinação de votos da maior panela já organizada na casa para manipular as indicações ao paredão. Liderada pelo médico Rogério, a Tropa de Choque chegou a contar com o voto de oito dos 14 participantes, e logo na primeira semana emparedou o professor baiano Jean Wyllys com seis votos. Homossexual assumido e primeiro intelectual a participar do BBB, Jean conquistou o público defendendo a ética, a amizade e a cultura brasileira. Depois de vencer seis paredões - outro recorde do programa -, sempre com o apoio da miss comilona Grazielli e da cabeleireira Tatiane Pink, o professor levou para casa o inédito prêmio de R$ 1 milhão.

À medida que os integrantes da Tropa iam saindo da casa, o clima de intrigas deu lugar à azaração. Tati Rio, Natália e Karla levaram os rapazes à loucura com a brincadeira de salada-mista no jardim. Devagarzinho, o mineiro Alan conquistou o coração da bela Grazielli, enquanto o ensaboado Sammy experimentou um turbulento namorico com a temperamental Pink. Nas últimas semanas, a carismática cabeleireira teve crises de ciúmes ao perceber a crescente amizade entre Alan e Jean, com quem acabaria disputando uma final antecipada. Sammy deu sorte e conquistou o último colar do anjo, garantindo uma vaga na finalíssima, ao lado de Jean e Grazi.

Ao contrário da edição anterior, quando os dois participantes sorteados pela promoção do celular foram finalistas, o padeiro Marcos e a dona-de-casa Marielza não deram sorte. O paranaense foi o segundo eliminado e a carioca teve que abandonar o jogo por problemas de saúde. Mari foi substituída pela estudante Aline, que atuou como espiã da Tropa de Choque. Mas, a essa altura, o público já havia escolhido de que lado iria ficar.

BBB6

A auxiliar de enfermagem Maria Nilza Vianna dos Santos, a Mara, mal conseguia sorrir de tão nervosa ao sair da casa do "Big Brother Brasil 6" e ouvir de Pedro Bial que era a grande vencedora do programa, ganhando R$ 1 milhão.

Sobre o que a teria levado à vitória, declarou: "O povo é sábio. Fui o tempo todo eu mesma, não joguei. Só passei a acreditar que podia ganhar quando houve uma prova em que tínhamos que decorar os carros com adesivos, e o público votou em mim no site para ganhar. Se o público quis me dar o carro, podia também querer me dar um milhão." Mas ainda não se vê como milionária: "Rica? Não sei o que é riqueza. Vou descobrir a partir de agora."

Mara declarou que acreditava que Rafael seria o vencedor "por ser mais inteligente", e que Mari ficaria em segundo lugar.

A baiana também se explicou sobre o fato de ter escolhido o amigo Agustinho, que também entrou na casa por sorteio, para ir com ela ao último paredão. "Achei que o Tinho venceria e eu sairia. Eu não tinha idéia da repercussão da minha imagem aqui fora, mas sabia que o Tinho era forte porque foi várias vezes para o paredão e voltou. Para mim, ele é uma pessoa maravilhosa."

BBB7
O paulista Diego foi o grande vencedor da sétima edição do Big Brother Brasil! Depois de 85 dias de confinamento, Alemão sai da casa mais vigiada do Brasil aclamado como o campeão com maior índice de aprovação já registrada na história do programa, superando Cida do BBB4, que venceu com 69% dos votos. Apenas Kléber Bambam (BBB1, 68% dos votos) e Rodrigo Caubói (BBB2, 65%) ultrapassaram a difícil marca de 60% de aprovação popular na final do programa, não superada pelos vencedores Dhomini (BBB3, 51%), Jean (BBB5, 55%) e Mara (BBB6, 47%).

No discurso em que anunciou o resultado da final, o apresentador Pedro Bial afirmou que penou nesta edição para não revelar o que estava atrás do seu "espelho", numa alusão aos espelhos que cercam toda a casa e escondem as câmeras. "Aí dentro tinha alguém que via o jogo como se estivesse aqui fora, com tal clareza que quase revelava algo que precisa ficar escondido para o jogo ter graça", explicou. "Uma pessoa entrou na casa há 85 dias e deixou um mundo para trás. Agora, ela deixa a velha casa e chega a um novo mundo. Coragem, cuidado, continue confiando em sua intuição. Pois com 91% dos 26 milhões de votos, o milhão é — diga-se de passagem, muito merecidamente — do Alemão".

O consultor em web-marketing que completou 26 anos durante o confinamento entrou na casa do Big Brother Brasil com apenas uma preocupação: cair na gandaia. Após um namoro de 11 anos, o baladeiro desinibido de corpo sarado e de cabelos arrepiados tinha certeza de que jamais chegaria perto do prêmio, e parecia muito mais preocupado em curtir sua "despedida de casado" com os novos colegas do que bolar estratégias de jogo.

Tão sedutor quanto canastrão, o paulista chegou atirando para todos os lados. "Já percebi que ele olha para todas", disse Juliana às outras meninas, logo no primeiro dia de jogo. Em uma casa repleta de solteiras descoladas, o surfista festeiro e malandro curiosamente se encantou por Íris, sacoleira de sotaque caipira e ar ingênuo que, após também terminar um longo namoro de dez anos, só pensava em arrumar um novo pretendente ao altar. "De todas as mulheres, a que mexe mais comigo é ela!", disse aos demais homens, no quarto dia de confinamento.

Enquanto Siri bloqueava as investidas para testar até onde iria o compromisso do rapaz, a sensual Fani o torturava dançando com furor nos quadris nas festas e pedindo insistentemente para dormir agarradinha ao rapaz. Por carência e boa dose de orgulho, Alemão entregou os pontos e trocou beijos ardentes com a carioca na Festa Vamp, mesmo presumindo que isso eliminaria suas chances com Siri. Querido pelos brothers, desejado pelas sisters, estufava o peito para zombar da mineira, mas no fundo seu coração não aceitava o desprezo da magoada sacoleira, que fingia desdenhar do brother chamando-o de "galinha". "Quero um homem, e não um garoto", discursava a sister, cutucando sem saber o ponto fraco do brother.

Se o orgulho ferido levou o paulista a engrossar o coro de BBs que viam a caipirice de Íris com desconfiança, chamando-a de "duas caras" na frente de todos, a paixão pela paulista foi lentamente despertando seu lado mais doce. Ao ver a loira acuada e indicada na terceira semana, deu uma virada que surpreendeu a todos e revoltou aliados como Fernando, Alberto, Airton, o então líder da quarta semana recuou na decisão de indicar Bruno e emparedou o amigo Felipe Cobra – maior desafeto da moça. Pediu desculpas sinceras a Siri e avisou que, dali para frente, passaria a protegê-la, sem cobrar nada em troca. Carinhoso de um lado, era a pura arrogância do outro, e arrematou ameaçando de uma só vez todos os demais jogadores: quem vetasse a imunidade que a sacoleira planejava dar à amiga Fani seria indicado ao paredão.

A partir daí Diego se tornaria inevitável e indiscutivelmente o grande protagonista do jogo, e suas jogadas ditariam os rumos da nave BBB. Negociando habilmente com o temperamento das duas protegidas, formou um triângulo amoroso que despertou a curiosidade de todo o país e deixou cenas antológicas na história do BBB. Contraditório, denunciava a perseguição ao trio ao mesmo tempo em que dava o pontapé na combinação de votos, instigando as aliadas a votarem em Alberto – que havia imunizado na primeira semana de jogo. Declarava desconhecer a dinâmica do programa, mas gabava-se de "ler" o voto de todos os colegas. Antecipava ataques com a mesma freqüência com que fazia movimentos suicidas. "Fui eu mesmo, mostrei meus defeitos e qualidades, mas não passei por cima do meu caráter", discursava.

Convencido e mulherengo, portava-se muitas vezes como um troglodita, tratando as sisters como mero objeto; noutras ocasiões, era o próprio último romântico, encantando as loiras com sua delicadeza e elegância. Peitou e provocou os rivais, e brigou feio com Airton e Carol no mesmo dia em o grupo resolveu devolver as brincadeiras do brother, deixando-o nu diante das câmeras do TV Colosso. "Sou homem, não sou moleque", bradava, provocando os rivais.

Num grupo de 16 jogadores, as ameaças e o isolamento no trio lhe custariam caro. Graças à seqüência de lideranças perdidas e o voto orquestrado dos rivais, o triângulo virou um alvo indefeso – e Diego, figurinha fácil na berlinda. Perdeu importantes batalhas, como a prova de resistência em que Caubói o derrotou após ficar 21 horas de pé e foi humilhado pelos adversários ao ter de duelar com Fani e Íris, além de tentar apaziguar a briga entre as duas. A cada indicação, no entanto, voltava mais com mais apoio do público. Fortalecido e solitário, anunciou sua vingança: "Vou derrubar um por um", afirmava, com dedo em riste.

As seguidas vitórias se converteram numa espécie de salvo-conduto para o resto do jogo. Temido pelos rivais, voltaria a ser indicado apenas décima primeira semana com os votos de Analy e Bruna, no pacto das sisters para formar um último paredão masculino entre ele e Airton. Amadurecido, msotrou fair-play ao se despedir do arquiinimigo Alberto — "Valeu pela guerra" — e humilde, evitou ir desnecessariamente ao penúltimo paredão indicando Analy.

Controverso, sagaz e teimoso, mas acima de tudo espontâneo e carismático, fascinou até mesmo seu rivais, que mesmo lhe reputando os piores defeitos, no fundo sentiam ciúmes por terem sido completamente ofuscados pela caipirice de Íris, ficando de fora das brincadeiras do brother. "Sempre quis me aproximar, você nunca deixou" desabafou a finalista Carol, no último dia da competição. Menino que tentava se afirmar como homem, cafajeste apaixonado que teve medo e depois coragem de viver um grande amor, Diego brilhou conduzindo a nave BBB até a antes inimaginável final. E do lado de fora, encantado, o público aplaudiu seu campeão.

BBB8
Rafinha foi o vencedor do BBB8 com 50,15% dos votos. O brother enfrentou a final mais disputada de todas as edições do programa (mais de 76 milhões de votos!) e leva R$1 milhão para a casa.

Antes de anunciar o vencedor, Bial comenta como a disputa entre a dupla foi acirrada. "Vocês nos deram um trabalho danado. A batalha foi entre a predestinação e determinação. A graça e a beleza enigmática de Gyselle se opôs ao carisma e ao charme juvenil de Rafinha", explica o apresentador, que em seguida anuncia o resultado. "Muito obrigado", diz músico, agora milionário, antes de sair do confinamento.

BBB9
O grande vencedor da nona edição do Big Brother Brasil foi Max Porto. Ele recebeu 34,85% dos votos do público e venceu a final disputada com Priscila e Francine, que ficaram, respectivamente, em segundo e terceiro lugar. "Hoje não é discurso de eliminação, é discurso de iluminação. O público é o grande líder do Big Brother. Aí o povo se apaixona por um de vocês, e é a paixão assustadora das torcidas de futebol. E como poderia ser de outra forma? Todos os raciocínios, estratégias de jogo se mostram inúteis, porque a substância que a gente trata aqui é imaterial. Max e Pri. Max: Com esse garoto não teve falsa modéstia. Vai encarar? Eu me garanto. Isso dito com gentileza e elegância. Pri: Como disse ontem, o preconceito é rápido. O senso comum é de quem tem preguiça de pensar. Aquela lá é a boazuda, a cachorra que não tem nada na cabeça... Aí, com o tempo, a convivência, o preconceito vai se esfarelando, cai a máscara dos falsos moralistas. E surpresa: ela não tem apenas uma cabeça, mas uma cabeça pensante! Max, que homem! - Diria Francine. Que competidor, que sedutor, e principalmente , que carisma... Se Max é o cara, Pri é a cara desse BBB. Quem venceu, venceu por uma diferença de 24 décimos. E o seu nono campeão vem quebrar tudo, Max!", diz Pedro Bial, ao dar o grande anúncio da noite. Com a vitória, Max leva o prêmio de R$ 1 milhão para casa.

Em sua passagem pelo BBB, Max assumiu declaradamente a posição de jogador e foi criticado por isso por seus colegas de confinamento. Outros participantes, como Ana e Naiá, acusavam o carioca de ser o mentor de estratégias do grupo, formado por ele, Flávio, Milena, Priscila e Fran. Os próprios amigos de lado questionavam sua conduta - Priscila disse que ele tinha mudado e ganho uma frieza ao longo do programa.

Ao deixar as emoções de lado no jogo, o artista plástico emparedou o amigo Ralf, para "testá-lo" na berlinda. O empresário acabou eliminado no paredão contra Ana, fato que fez Max rever sua postura de jogador. "O coração venceu a razão", afirmou o carioca.

Mesmo como estrategista, Max encontrou espaço para um relacionamento amoroso com Francine. No início, os dois trocavam carícias inocentes debaixo do edredom, longe do olhar dos brothers e das câmeras. A gaúcha havia deixado um namorado fora da casa. Longe das cobertas, eles também viviam grudados, mas a ex-miss ABCD constantemente se esquivava dos beijos do artista plástico. Depois de idas e vindas, Max pediu Francine em namoro, ao vivo. A partir daí, os dois assumiram o compromisso, e se tornaram namorados.

BBB10
O gaúcho Dourado, de 37 anos, foi o grande vencedor do Big Brother Brasil 10, com 60% dos votos. O lutador, que já havia participado da quarta edição do reality show, leva para casa o prêmio de R$ 1,5 milhão. Antes de chegar à final do BBB 10, Dourado passou por cinco Paredões, sendo o último deles contra um de seus principais adversários no jogo, o maquiador Dicesar. Na final - que bateu o recorde mundial de votos em reality shows, com mais de 154 milhões de votos - Dourado venceu Fernanda e Cadu, que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Dourado também havia participado do BBB 4 e retornou à casa mais vigiada do Brasil pelas mãos de Joseane, outra ex-participante do programa escalada para o BBB 10, que tinha que escolher entre o lutador e o ex-BBB Rafael. Ainda na primeira semana de confinamento, Joseane também agraciou Dourado com o colar no Anjo, o que valeu à sister a ida ao primeiro Paredão e sua eliminação do jogo.

Presenteado pelo público com o Poder Supremo, que lhe garantia o direito de mudar a decisão do líder, do Anjo, da casa ou do Big Fone, Dourado trocou de lugar com Eliéser e escapou do Paredão que resultou na eliminação de Alex.

O lutador também cumpriu um Castigo do Monstro ao lado de Angélica, pulando amarelinha vestido de criança. Dias depois, ganhou a Prova do Anjo e venceu nova votação popular, que desta vez lhe valeu um carro zero quilômetro.

Algumas polêmicas marcaram a estadia de Dourado na casa mais vigiada do Brasil. Com Dicesar, ele viveu uma relação conturbada, repleta de aproximações e desentendimentos. Certa vez, em conversa com Eliane, o maquiador chamou Dourado de ‘homofóbico’. Com outro homossexual da casa, Sérgio, Dourado se estranhou e se disse incomodado com papos do estudante sobre sexualidade na mesa de jantar. Sérgio declarou que Dourado ofendeu a sexualidade dele, mas os dois se entenderam pouco tempo depois.

Já com Angélica, as relações foram rompidas. Após insinuar para Dourado que ele teria “dois pesos e duas medidas” e contar sobre o papo para alguns brothers, a sister se tornou desafeto do gaúcho, que afirmou não querer mais olhar na cara dela. O sentimento, pelo menos, foi recíproco. “Pra mim você não está nem mais na casa”, Angélica disse a Dourado.

Com Anamara, a briga aconteceu após ele receber o voto dela no confessionário, numa semana em que baiana comentou que ele não era sua opção. Dourado chamou a sister de “cínica” e “hipócrita” e a ouviu dizer que votaria nele até o final do programa.

A última semana de Dourado na casa mais vigiada do Brasil foi intensa. Após a eliminação de Anamara, houve novo desentendimento com Dicesar. “O Brasil vai fazer você calar a boca”, o maquiador disse, bastante alterado, enquanto Dourado vibrava com a permanência de Lia. O lutador devolveu a provocação, chamando Dicesar de “puxa-saco e mentiroso”. No dia seguinte, o gaúcho foi conhecer uma fábrica de chocolates. Em brincadeira realizada dentro da casa, Dourado ganhou um refrigerador, uma TV, um celular e um cartão-presente no valor de R$ 5 mil.

Um comentário:

Mariquinha disse...

Afff....que post compriiiiidoooo!