31/03/2014

O pior BBB de todos os tempos

Olha, nunca um reality me causou tanta repulsa, indignação, raiva, gastura, irritação, perplexidade e nojo como essa edição do Big Brother Brasil. O programa já começou errado, com vinte participantes e com aquela estratégia estúpida de colocar dois pra fora a cada semana, o chamado BBB TURBO. Foi uma das piores ideias do Boninho desde sempre. Pessoas que talvez pudessem render assuntos interessantes foram limadas do programa logo no início, dando chance às plantas e aos 'de bom coração' irem continuando na casa, comendo pelas beiradas, se esquivando de paredões.
 
 
Outro equivoco: o tão temido Big Fone. Se não bastasse um só, o diretor resolveu colocar três deles e todos nós vimos a cagada que deu. Até mensagem errada teve vez nessa edição e isso custou a indicação de um participante - Diego - que se viu obrigado a revelar qual seria seu voto, sem que a mensagem verdadeira determinasse isso.
 
 
Tivemos também as já famosas intervenções do apresentador Pedro Bial, só que, desta vez, ele somente meteu o bedelho pra expor o Diego, numa suposta homofobia - que não houve - demonstrada em um comentário feito a respeito de acompanhamento psicológico a crianças que são adotadas por casais gays.
 
Já no caso do abuso praticado pelo Marcelo em uma Angela praticamente desmaiada, ninguém falou nada, sequer o rapaz foi punido ou advertido após quebrar o cenário com chutes e socos. Não sei se o rapaz fosse negro, feio e pobre se o tratamento do assunto seria diferente.
 
Outra declaração equivocada foi da finalista Angela,  que sugeriu o assassinato de soropositivos (portadores do vírus da Aids) como forma de acabar com a doença, coroando seu pensamento com a afirmação de que a doença só ocorre porque algum homem teve a infeliz ideia de fazer sexo com um macaco...Apesar dos protestos nas redes sociais, a emissora se limitou a enviar uma médica para falar sobre prevenção ao HIV e às DSTs. Angela também não foi cobrada e nem sonhou que aquela visita médica tinha sido por causa da sua declaração. Apenas ficou cogitando se algum deles havia falado alguma besteira.

Cassio também andou pisando na bola e o Ministério Público Federal do Rio de Janeiro recebeu uma representação contra ele, devido a um comentário considerado racista feito dentro da casa. A declaração controversa foi dada em conversa com a atriz Tatá Werneck, a Valdirene da novela Amor à Vida, durante a única festa que contou com a participação da periguete da ficção. Para dizer que é "bem dotado", Cássio afirmou que, certa vez, "atravessou" uma mulher negra por acreditar que ela já deveria ser acostumada por manter relações sexuais com homens negros. Nem Tatá Werneck conseguiu achar graça e mudou de assunto.
 
 
Mas o maior erro da produção foi enfiar mães e tias no confinamento, quebrando totalmente a premissa do programa, que é o isolamento total dos participantes. Ok, achei engraçado, peguei amor por algumas mãezinhas, como tia Ledi, tia Marcia, tia Susi e tia Zezinha, mas aquela enxurrada de informações passadas aos confinados foi de arrasar.
 
E, como eu não poderia deixar de comentar, o que causou mais estranheza nessa edição foram os resultados dos paredões, contrariando quase sempre as enquetes. Eu não acredito nos resultados. Não há auditoria nem nunca houve, mas, depois desses resultados, eu acho que quem gasta dinheiro com SMS e ligações devia pensar muito se vale mesmo a pena tentar defender o seu participante favorito. Além da falta de transparência há uma imensa organização em torno dos participantes - as chamadas máfias - que envolve compra de blogueiros para defender esse ou aquele participante, aluguel de call centers, torcidas fanáticas fazendo vaquinha para pagar contas de telefone, fraude nas enquetes e toda a sorte de coisa chata que só nos desestimula.

 
Sobre as finalistas, só tenho algumas considerações a fazer: não queria nenhuma das três na final. Eu tinha muitas pessoas para querer em quarto lugar além do Marcelo, e Angela é uma delas. Não acredito no "amor" entre Vanessa e Clara. Reconheço ali uma grande amizade, que certamente não vingará aqui fora, por causa de um casamento convencional que a stripper tem aqui fora, inclusive com filho bebê. Ao que me consta, Vanessa também tem um companheiro. Nunca a vi falar sobre ele na casa, mas li isso em algum lugar entre ontem e hoje. Não sei se é verdade, mas a realidade é que Clara carregou Vanessa nas costas e Angela, a participante mais insuportável e detestável que eu já tive o desprazer de acompanhar, foi a maior jogadora dessa edição.
 
Não é a final que eu gostaria de ver e não foi um jogo que eu tive a felicidade de acompanhar, mas as três chegaram lá por méritos próprios: Vanessa usou Clara como escada e deu palco para sua companheira, Clara fez uma história diferente e inovadora em um reality brasileiro e Angela é a primeira vilã a chegar em uma final. Tá bom pra vocês?
 
 

6 comentários:

Patricia Daltro disse...

Nossa, perfeito seu texto. O pior BBB de todos os tempos. Sinceramente, desanimei de vez. Acho que só um aos moldes do 9 pra me fazer assistir de novo.
A verdade é que desde o 10, os BBBs vem caindo ladeira abaixo. Esse ano foi pro tumba de vez. rs

Bandys disse...

É! E acabou... pra mim qualquer uma que ganhe nem to ligando. Pior BBB da historia mesmo. Você ja disse tudo.

Obrigado pela acolhida,

Beijo

Anônimo disse...

Concordo gênero, número e grau! Exelente as suas avaliações!

Mara Lucia Bechara disse...

Certíssima de pleno acordo,foi o pior BBB QUE JÁ TEVE ASSISTO PORQUE SOU UMA BURRA....
BJJS
Mara Lúcia

Glória Tupper disse...

Patricia, Bandys, Anonimo e Mara Lucia, pensem no lado bom: acabouuuuu.....rs

VAL disse...

Concordo, este BBB foi o pior de todos!!! Os finalistas deveriam ter saído no tubo!!!Abs