16/05/2007

Recordar é viver...

Muita gente nunca assistiu nem mesmo ouviu falar do programa Vila Sésamo, que foi ao ar entre os anos 1972 e 1977. A idéia de trazer o programa para o Brasil foi do Boni, então diretor geral da Central Globo de Produções.

No cenário atual de tantos programas copiados de modelos americanos, como Big Brother, Ídolos, O Aprendiz e tantos outros, Vila Sésamo também copiava uma série norte-americana chamada Sesame Street, criada para tirar as crianças das ruas e proteger os guetos nova-iorquinos.

Os primeiros 40 episódios foram rigorosamente mantidos dentro do padrão da produtora americana, mas a parti daí, o Vila Sésamo foi totalmente nacionalizado, tendo como cenário uma vila operária. As músicas de abertura e dos personagens foram compostas por Marcos e Paulo Sérgio Valle.

Eu era fascinada por Vila Sésamo e, mesmo depois de mais velha um pouco, me encantava com a simplicidade e eficiência do programa, que funcionava como um jardim de infância, que ensinava às crianças hábitos de higiene, noções de matemática, língua portuguesa e meio ambiente. Curioso é que, mesmo sendo um programa infantil, tinha que ser gravado com a presença de um censor, por causa do regime militar.

O programa era dividido em esquetes e tinha personagens como Juca (Armando Bógus); a figura paterna do programa, sua esposa Gabriela (Aracy Balabanian) era a figura materna; a professora Ana Maria (Sônia Braga estreando na TV) com seu namorado Antônio (Flávio Galvão, também estreante). Os bonecos Garibaldo (vivido por Laerte Morrone), Gugu (aquele que não saía de dentro de um barril), Ênio (adulto criança que precisava aprender coisas elementares da vida) e Beto (adulto ranzinza que não gostava de ensinar Ênio, divertiam ensinando.

Bateu saudades da infância!! Tudo era tão mais simples...






Vila Sésamo - abertura

Nenhum comentário: